E quando o stress aparece nos relacionamentos?

Por Letícia Machadoª

Relacionamentos – sejam eles amorosos ou não – são sempre construção, e enquanto construção necessitam de muito trabalho e esforço. Assim como um edifício para ser construído precisa de um projeto estruturado, noções do papel de cada um na execução do projeto e combinações consoantes a isso entre todos os membros da equipa, nos relacionamentos isso também é necessário.


Conflitos, brigas, má comunicação e incompreensão são queixas comuns entre os casais e quando acontecem numa frequência alta, acabam por causar em ambos os parceiros a sensação de que estão a viver uma relação com altos níveis de stress. Ao entrar numa relação, cada um de nós traz uma mala com tudo o que aprendemos sobre relacionamentos, desde a nossa infância até o momento atual de vida, e despejamos essa mala – recheada de expectativas, regras e comportamentos automáticos – em cima da outra pessoa. Essa mala, chamamos em psicologia de “esquema”. Através dos esquemas, fazemos classificações mentais sobre situações, pessoas, e sobre o mundo em geral e também escolhemos os nossos comportamentos de acordo com isso.


Existem pelo menos dez esquemas mentais acionados nos relacionamentos entre casais1, entre os quais estão, por exemplo: o esquema de abandono, caracterizado por uma crença de que o parceiro não é digno de confiança e que inevitavelmente irá abandonar a relação; e o esquema de grandiosidade, que envolve a crença de que o parceiro deve atender a todas as suas necessidades individuais. O importante em relação a isso é que o conflito entre os casais começa invariavelmente por aí. Cada um faz a leitura das situações que acontecem com base nos seus esquemas e age de acordo com eles.

Vamos pegar como exemplo uma situação comum entre os casais: um jantar depois de um dia de trabalho em que um dos parceiros fica mais calado do que o habitual. Uma pessoa com esquema de abandono, provavelmente interpretará essa situação como um sinal de afastamento do parceiro e uma real ameaça pelo fim da relação. Como reação, poderá por exemplo, emitir um comportamento de ataque impondo coisas, fazendo julgamentos e tendo um discurso agressivo. Pode ser que o parceiro mais calado estivesse apenas cansado do dia longo de trabalho e até feliz por aquele momento juntos, no entanto, a partir desse tipo de comportamento a reação do parceiro poderá ser o de realmente afastar-se e, por consequência, comprovar o medo de abandono que já estava previsto no esquema do outro parceiro. Percebe a confusão?

Quando atinge-se uma alta frequência de conflitos na relação, o desfecho dependerá da maneira com que os parceiros encaram o stress (mais uma vez, um esquema mental sobre sentir-se stressado tomará conta da situação). Se o stress for encarado como algo ameaçador e intolerável, provavelmente cada conflito do casal será encarado com baixíssima tolerância e terá consequências compatíveis. Se o stress for encarado como oportunidade de crescimento e aprendizagem, o casal terá uma maior tolerância para lidar com a situação-problema e, da mesma forma, terá consequências compatíveis.

Nessa trama complexa de pensamentos e sentimentos, estão também envolvidos os motivos de terem entrado naquela relação, ou o significado que dão àquele relacionamento. Em meio às confusões e à interpretação que fazem sobre o stress é possível que os casais esqueçam o que é que para eles é importante naquele relacionamento, o que é que ali há de bom. Já sabe-se que o stress é uma espécie de efeito secundário as coisas que mais queremos e valorizamos (leia aqui), por isso, é possível que o stress nos relacionamentos seja um sinal de que ali, naquele conflito, está algo importante para cada um dos membros do casal e que precisa ser olhado com cuidado para que possa ser correspondido da melhor forma.

Se nota que o seu relacionamento está a passar por um momento conturbado procure pensar de que maneira os seus comportamentos tem contribuído para isso, de que maneira há algo ali que é bastante importante para si e do qual não abre mão e se há forma de conseguir isso que é tão importante para si tendo outro comportamento que dê mais resultado. Uma maneira de descobrir os seus esquemas mentais é olhar com atenção aos conflitos que vem encarando nas suas relações – seja com amigos, família ou parceiros. Há conflitos que repetem-se e que deixam em evidência os seus esquemas mentais.


No espaço de psicoterapia esse processo fica facilitado porque há ali um profissional treinado para auxiliar no processo de descoberta e modificação dos comportamentos de resposta aos esquemas e os resultados de modificações costumam ser mais rápidos e assertivos. É impossível ver-se livre do stress, mas é possível lidar com ele de forma muito diferente! Garanto que parar, olhar, pensar e tentar solucionar é muito mais gratificante do que simplesmente fugir.

1Lev, A., McKay, M. (2017). Acceptance And Commitment Therapy For Couples: Using Mindfulness, Values, And Schema Awareness To Rebuild Relationships. California: New Harbinger Publications.

 

VEJA OUTROS TEXTOS

ª Leticia Machado é Psicóloga Clínica e Coach Pessoal e Profissional com a grande missão de vida de ajudar as pessoas a enfrentar desafios, motivá-las a serem o melhor que puderem, fazer com que elas sintam-se bem consigo mesmas e com o mundo ao seu redor, e, sobretudo, encorajá-las a serem sempre MAIS – mais felizes, mais realizadas, mais bem sucedidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *