Como criar os filhos
para serem felizes?

4 de Abril, 2016 – Leticia Machado

Como criar os filhos para serem felizes?

Durante a minha experiência profissional vi muitos pais sentarem à minha frente e falarem sobre as preocupações que têm em relação ao futuro dos filhos. Posso generalizar e dizer que em todos eles a preocupação essencial era se os filhos viriam a ser adultos felizes. Ou, ainda, se as lembranças de infância seriam felizes. Assim como esses pais que pude ajudar de forma mais individual e objetiva, imagino que tenham outros com as mesmas preocupações e por isso resolvi dividir alguns segredos da psicologia em relação a isso.   

 

A felicidade não é uma constante na vida, visto esta é cheia de situações inesperadas. Porém, a forma com que percebemos os desafios impostos é que gera emoções “positivas” ou “negativas” e é isso que determina nossas ações. Assim, podemos dizer que o segredo para ser mais feliz está em ter a capacidade de se adaptar à adversidade, e isso em psicologia chamamos de resiliência.   Para aumentar a capacidade de resiliência nas crianças há uma série de ações que os pais podem tomar desde cedo! Vamos ver algumas delas: 

 

1. Mostre consistência 

As crianças tem necessidade de saber o que esperar dos pais e o que esperam dela. Ser consistente entre o que diz e o que faz traz confiança aos pequenos e reduz as chances de produzir stress e falsas expectativas. Isso é possível através da criação de rotinas – com horários específicos para as refeições, para dormir, para realizar as tarefas de casa e para passar tempo em família –, e através da criação de regras consistentes, para que os pequenos também percebam que devem seguir algumas normas e que o não cumprimento dessas implica consequências previamente combinada com os pais (aqui é importante sempre manter as combinações).   

 

 2. Converse sobre as emoções 

Falar sobre as emoções é essencial para fortificar a relação entre pais e filhos, além de promover nas crianças as habilidades de reconhecer as suas próprias emoções e a dos outros. Aqui também é importante para os pais dividirem como se sentem e como fazem para resolver a situação que causa aquele sentimento. Dar espaço para a criança falar sobre como se sente também faz todo o sentido. Tão importante quanto falar sobre as emoções é falar sobre como geri-las! E isso pode ser feito através de histórias (inventadas ou sobre experiências de vida dos pais, por exemplo) ou através de jogos, onde os pais criam uma situação hipotética – com personagens que a criança goste, por exemplo – e ela pode encontrar maneiras alternativas para lidar com aquele sentimento e situação que a personagem está a enfrentar.   

 

 3. Incentive o desenvolvimento mental e social 

Envolva-se na vida escolar dos seus filhos, incentive a leitura e a criatividade deles através de jogos diferentes e brincadeiras em família, através da leitura de livros interessantes que envolvam o que eles tem estudado na escola e também outras coisas que sejam do interesse familiar. Brincar com o som das palavras, com as rimas, e com exercícios de lógica também impulsiona o desenvolvimento cognitivo e as habilidades de comunicação, sendo que estes estão fortemente associados ao sucesso acadêmico e interpessoal no futuro.   

 

Lá está! Três pequenas dicas que podem melhorar a qualidade de relacionamento entre pais e filhos e ainda melhorar a capacidade de resiliência dos pequenos. Criar filhos felizes a 100% do tempo é impossível, mas prepara-los para a vida e ajuda-los a adaptarem-se às adversidades fará com que eles, com certeza, tenham uma melhor qualidade de vida agora e no futuro! E talvez isso seja mesmo o mais próximo da felicidade plena. 

Leticia Leuze Machado

Leticia Leuze Machado

É Psicóloga Clínica, Pós-graduada em Psicopatologia da Infância e da Adolescência e Certificada Internacionalmente em Coaching. Realiza atendimentos na YellowRoad e tem larga experiência na área clínica com ênfase em psicoterapia infantil e adulta, gestão de stress e resolução de problemas.